sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

momento relax







estrelas 'candentes' ...

12 cartazes de filmes cult recriados por idosos 
(12 affiches de films cultes recréées par des seniors)

O envelhecimento parece mais agradável depois de tudo.

Easy Rider *
Walter Loeser (I.), 98 ans et Kurt Neuhaus, 90 ans.
Essen, Alemanha, o lar de idosos Contilia teve o melhor momento de todos os tempos, com seus moradores. Eles (cartazes) foram distribuídos aos residentes do lar de idosos, bem como os parentes e funcionários. A pessoa mais velha que participou do projeto tem 98 anos.

fotos incríveis
veja em buzzfeed ponto com

Nota: Tradução via Google (traduzido de Inglês por usuários Duolingo , um serviço que permite que os estudantes da língua pratiquem suas habilidades de linguagem, traduzindo textos em sua língua materna.)

* minha foto favorita

outro site:
Snorricam - Idosos recriam cenas icónicas
por Close-Up, em 23.01.14

Um lar de idosos alemão - mais especificamente, o Contilia Retirement Group em Essen - resolveu criar o calendário mais awesome de sempre, onde coloca alguns dos seus elementos a recriar famosas cenas de filmes. Brilliant stuff!

*** ***

The Contilia Retirement Group have recreated famous Hollywood scenes for their 2014 calender (Picture: Contilia)

mais:

Nova York, Rio - e logo Tóquio? - Cobertura da grande mídia  para o calendário dos idosos 
Ninguém esperava que os seniores em fotos do calendário "Classics 2014"  tivesse tanta repercussão na mídia: Ontem, chegou ao Contilia Comunicação Corporativa mais de 100 pedidos de mídia de todo o mundo. Além de vários editores alemães também jornalistas norte-americanos interessados ... 
Saiba mais em Contilia
(página em alemão, Google traduz para você)

veja também


Contilia – Competitive through High Performance and Christian Business Culture

With 3,200 staff, the Contilia Group is one of the vital health care service businesses in the Ruhr area metropolis. Amongst others, the group provides hospitals – Elisabeth Hospital, Essen and St. Marien-Hospital, Mülheim an der Ruhr – and also facilities for the elderly. We render in- and outpatient services as well as nursing services, offers for prevention and early detection, rehabilitation programs, and further training courses. In all facilities the group shows high performance on the medical and nursing level. The management structures are state of the art. The business culture is coined by a Christian attitude and thus focused on caring for the ill, the elderly, and other individuals in need of help. The Contilia motto illustrates this attitude: For the Essentials. In Life.



Elisabeth Hospital Essen – Medical Know-how and modern Infrastructure
comentário:
quem sabe um dia no Brasil nossas estrelas, de brilho já embaçado, ganhem não apenas fotos em calendário, mas respeito, consideração e conforto por parte da família, das instituições de saúde e da sociedade em geral.

além dos remédios

USP incorpora dimensão espiritual a tratamento médico

Depoimentos dos pacientes revelam que eles se sentem mais humanizados com a abordagem espiritualizada. [Imagem: Marcos Santos/USP Imagens]

O exercício da medicina e a formação dos médicos raramente levam em consideração aspectos como religião e espiritualidade no contato com os pacientes.
Isso apesar da lida diária desses profissionais com a saúde humana, o que com frequência é sinônimo de lidar com o sofrimento alheio, a dor e a morte.
Para o psiquiatra Frederico Camelo Leão, independentemente das crenças pessoais do médico, ele deve estar preparado para lidar com a dimensão espiritual.
"O paciente demanda isso", afirma o pesquisador da Faculdade de Medicina da USP.
O Dr. Leão coordena o Programa de Saúde, Espiritualidade e Religiosidade (ProSER), iniciativa que busca compreender a relação entre esses três fatores a partir de atividades de pesquisa, ensino e assistência terapêutica.
Segundo o médico, a complexidade do ser humano e a saúde mental vão muito além das questões neuroquímicas - e é essa premissa que guia o programa.

Espiritualidade e saúde
A ideia não é que a espiritualidade e a religiosidade entrem como uma alternativa ao tratamento médico. "É uma forma complementar, dentro da visão de que a busca da saúde é mais do que apenas tomar remédios",
leia mais em diariodasaude 


cuidadosos & cuidadores & cuidados


OMS: mais de 20 milhões precisam de cuidados paliativos todos os anos

Conclusão consta do relatório da agência da ONU e da Aliança Mundial de Cuidados Paliativos; documento mostrou que apenas uma em cada 10 pessoas recebe o atendimento adequado.

40 milhões de pessoas precisam do tratamento. Foto: OMS

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.
A Organização Mundial da Saúde, OMS, e a Aliança Mundial de Cuidados Paliativos, Amcp, afirmaram que mais de 20 milhões de pessoas precisam desse tipo de tratamento todos os anos, no mundo inteiro.
A conclusão consta do "Atlas Global de Cuidados Paliativos no Final da Vida" preparado, pela primeira vez, pelas duas organizações.

** ** **

Quem vai cuidar de você na velhice?



Mirian Goldenberg

Uma das perguntas mais frequentes feitas às mulheres que não querem ter filhos é: "E quem vai cuidar de você na velhice?".

Uma jornalista de 43 anos disse: "Já sofri muito com as cobranças femininas. Acham que se eu não tiver filhos serei infeliz. Quando digo que não quero ter filhos e sou feliz assim, elas dizem: 'Então por que você não adota?' Quando respondo que não quero adotar, elas insistem: 'E como vai ser sua velhice sem ninguém para cuidar de você?'.

Muitas mulheres mais velhas acreditam que a família é uma prisão que impede que exerçam a própria vontade. Elas dizem que os filhos não respeitam as vontades dos pais e querem controlar suas vidas afetivas e sexuais, como se os velhos não fossem pessoas responsáveis, lúcidas e autônomas.
Uma escritora de 75 anos disse:
"Aprendi a afastar todas as pessoas que chamo de vampiras: aquelas que só sugam, reclamam, demandam, fazem mal, botam para baixo. Só quero na minha vida quem me cuida e me alimenta de coisas boas, quem me faz bem e me estimula a ser cada vez melhor. As minhas amigas são o meu maior patrimônio e a minha verdadeira família".
leia em Folha UOL

** ** **

Global Atlas of Palliative Care at the End of Life



Published jointly by the World Health Organization and the Worldwide Palliative Care Alliance, the Atlas is the first document to map the need for and availability of palliative care globally.

Using maps, graphs and case studies, and drawing on a wealth of resources, the Atlas addresses the following questions:

What is palliative care?
Why is palliative care a human rights issue?
What are the main diseases requiring palliative care?
What is the need for palliative care?
What are the barriers to palliative care?
Where is palliative care currently available?
What are the models of palliative care worldwide?
What resources are devoted to palliative care?
What is the way forward?

This important document shines a light on the need for palliative care globally, and is an excellent tool to advocate for the inclusion of palliative care in the global, regional and national health agendas.

Download a PDF of the Global Atlas of Palliative Care at the End of Life.

fonte: thewpca.org

Aos 91 anos, Tônia Carrero se exercita na praia diariamente


Imagem Google
Atriz está no ar no Viva, como a Stella Fraga de 'Água viva'
Uma das atrizes mais bonitas que o Brasil já teve, Tônia Carrero não descuida da saúde aos 91 anos. Tanto que é vista quase diariamente se exercitando nas areias da Praia do Leblon, como mostrou a coluna Gente Boa, de O GLOBO,

Leia mais sobre esse assunto em O Globo

o registro da batalha

A batalha que não escolhemos

Jennifer tinha 36 anos quando descobriu um câncer de mama. Seu marido, o fotógrafo Angelo Merendino, registrou toda a luta da esposa pela vida. O resultado é um ensaio delicado e incrivelmente sensível, que toca pelo olhar.
Imagem Google












Angelo Merendino

em fotos em Vida Simples

saiba

Gerontologia é uma das profissões do futuro


















assista em vídeo Jornal Hoje GloboTV

**  **  **

5 doenças sinistras e que ainda são incuráveis

Apesar de todos os avanços que já ocorreram na Medicina e das muitas doenças que já foram erradicadas, ainda existem outras tantas por aí que continuam sem cura — isso sem falar nas enfermidades que seguem sendo pouco conhecidas. A seguir você pode conferir uma lista com cinco patologias sinistras que, apesar dos esforços de milhares de cientistas, continuam sem tratamento após o contágio:

leia em Megacurioso

nosso cérebro é genial

Cérebro de doente famoso dá novas pistas sobre a memória humana


Henry Molaison, mais conhecido como H.M., foi um dos mais famosos e mais estudados doentes da história das neurociências modernas. Mas até à sua morte, em 2008, os cientistas só tinham podido estudar as suas lesões cerebrais “do lado de fora”, nomeadamente através de imagens de ressonância magnética. Agora, uma equipa de cientistas dissecou postumamente o cérebro deste homem que, a seguir a uma cirurgia, perdera totalmente a capacidade de formar novas memórias. Os resultados, que contradizem em parte o que as anteriores visualizações, não invasivas, do seu cérebro sugeriam, foram publicados terça-feira na revista Nature Communications.

“Os conhecimentos científicos sobre a forma como as funções da memória estão organizadas no cérebro humano têm a sua origem no caso [de H.M.]”, escrevem Jacopo Annese, da Universidade da Califórnia, e colegas, no seu artigo.

mais em Publico.PT

xô deprê

Depressão: Reino Unido usa livros como tratamento

No Reino Unido, a prescrição de livros em vez de fármacos está a ser adotada como terapia para tratar a depressão. De acordo com os especialistas, a leitura de determinadas obras é uma forma eficiente e "low-cost" de ajudar os pacientes a ultrapassar os problemas que os atormentam sem efeitos secundários.

O método começou a ser utilizado em Junho, mês em que o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido (NHS) arrancou com uma campanha baseada numa investigação desenvolvida em 2003 pelo psiquiatra galês Neil Frude, que concluiu que os livros tinham potencial para se assumir como um substituto eficaz dos antidepressivos.


ler mais em Boas Notícias


Vovôs sarados


idosos deixam limitações da idade de lado e exibem disposição para encarar exercícios vigorosos.

Francisco Aguiar, 70, se prepara para surfar em Santos


De cócoras, Francisco Verazane Aguiar passa parafina na prancha. Depois de alongar pernas, braços e mãos, corre para o mar para pegar a próxima onda e se juntar à turma.

O diferencial nessa cena é que os surfistas têm entre 60 e 72 anos. Eles frequentam uma escola pública de surfe em Santos (SP), que oferece aulas gratuitas do esporte durante três dias por semana.

Na tarde da última quarta-feira, a Folha acompanhou uma aula com quatro idosos –três surfaram e uma treinou bodyboard, considerado a porta de entrada para o surfe.


terça-feira, 28 de janeiro de 2014

um terno abraço ...

Imagem de Romualdo M. Leal (Facebook)


* * *
     "Dê-me sua mão, bela e delicada forma!
     Sou amigo, e não venho para punir.
     Tenha bom ânimo! Eu não sou feroz,
     Tranquilamente você dormirá em meus braços!!

Versos de 'A Morte e a Donzela' (em português), lied de Franz Schubert.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

a Morte e a Lei: argumentos jurídicos

Hospital nos EUA desliga aparelhos que mantinham grávida com morte cerebral

A família de uma mulher grávida com morte cerebral confirmou na tarde deste domingo (26) que o hospital desligou os aparelhos que a mantinham viva, depois de uma decisão judicial baseada em um pedido da família. O caso aconteceu na cidade de Fort Worth, no Estado americano do Texas, e causou comoção em todos os Estados Unidos.

entenda:

Marlise Muñoz, de 33 anos de idade e grávida, sofreu uma embolia pulmonar no final de novembro e foi declarada então com morte cerebral. O fato de Muñoz já ter sido declarada morta e as provas de que o feto sofreu graves consequências foram dois elementos cruciais para a decisão do juiz.

Durante a disputa, que provocou um grande debate social nos EUA sobre o que implica ser declarado com morte cerebral, os juristas que respaldam a postura da família explicaram que a lei texana - como a de outros 20 estados - se refere a mulheres grávidas em estado vegetativo ou de coma, não com morte cerebral.

O outro elemento decisivo foi o estado do feto, de 22 semanas, que não era "viável", um ponto que os advogados da família defenderam esta semana. "As extremidades inferiores se deformaram de modo que o gênero do feto não pode ser determinado", argumentaram.

Desde o princípio, a família considerou desumano que o feto continuasse crescendo sob essas circunstâncias, em um corpo clinicamente morto e sem um funcionamento correto, além do embrião ter sofrido a mesma falta de oxigênio da mãe durante a embolia pulmonar. (grifo nosso)

O juiz ressaltou que, se estivesse viva, a mãe teria abortado diante dos danos sofridos pelo feto.

A resolução do juiz responde a pedido que o marido, Erick Muñoz, em nome também dos pais da paciente, apresentou em 14 de janeiro para que a justiça apoiasse sua vontade de desconectar Marlise do respirador.

A lei que o hospital se baseou durante esses meses foi aprovada pelo congresso texano em 1989 e modificada em 1999, e estabelece que ninguém pode interromper um tratamento que mantenha artificialmente a vida de uma paciente grávida.

Em sua argumentação, os dois advogados da família justificaram que o hospital "interpreta erroneamente" a lei texana: se a paciente estiver morta, nem pode estar grávida nem podem ser aplicadas indefinidamente medidas de suporte à vida, já que a vida não existe mais. (grifo nosso)
(Com agências internacionais)

comentário:

um tema bastante delicado, principalmente em nossa cultura, todavia a matéria explica clara e objetivamente as razões da decisão judicial; sem sensacionalismos, felizmente.

Casal redescobre o amor na terceira idade 

Dona Carmelita encontrou novamente a felicidade após 35 anos viúva 
27/01/14 

Dona Carmelita e Seu José viram uma amizade se transformar em amor
Ninguém dançava bem como ele", conta dona Carmelita sobre o companheiro, José Gonçalves, que ela conheceu nas aulas de dança de salão. Assim como Bernarda e Lutero, casal da ficção vivido por Nathalia Timberg e Ary Fontoura, eles viram o amor nascer na terceira idade."
fonte globo (página da novela)

Ary Fontoura e Nathália Timberg atuam juntos na novela "Amor à Vida" (Foto: Raphael Dias/TV Globo)

comentário

"Novela é sempre piegas, mas quando se trata de inspiração da vida real, por que não fazer uma citação? Um exemplo e tanto!!"


um escritor médico

ou um médico escritor

Entrevista sobre o livro Sem Defeitos

fonte da imagem


conheça a página do autor no Facebook

power of old people

What This Driver Did To An Elderly Woman Was Unthinkable…But How She Responded Was Priceless
Posted On January 22, 2014 at 9:31am PST
Ryan Jennings

SlightlyViral Staff


Okay, let me set this one up for you.  An elderly woman, slowly crossing the street, gets honked at by an inconsiderate driver in a Mercedes.  Rather than leave his rudeness unpunished, she does something very unexpected and leaves the driver very embarrassed and regretting his actions.

You’ve got to see this!

compreensão ... muitas vezes é só o que precisamos para continuar vivendo




O filme conta a história de uma criança que sofre com dislexia e custa a ser compreendida. Ishaan Awasthi, de 9 anos, já repetiu uma vez o terceiro período (no sistema educacional indiano) e corre o risco de repetir de novo. As letras dançam em sua frente, como diz, e não consegue acompanhar as aulas nem focar sua atenção.


domingo, 26 de janeiro de 2014

esse Lulu Santos é de Morte ...

um de seus discos ...








amor de pai humorista

Marcos Mion e um relato emocionado
Por Patrícia Maldonado | Mãe de Salto Alto – qui, 23 de jan de 2014

Todo mundo conhece o Marcos Mion engraçado do Legendários, né? O Mion que fazia todo mundo rir na MTV, também. A imagem que ele passa é mesmo daquele cara meio maluquinho, sem muito compromisso com a vida, sem problema, que vive rindo, fazendo palhaçada. Pois o Marcos Mion surpreendeu todo mundo esta semana ao falar do filho mais velho, Romeo, no Facebook.



Trecho do depoimento:
"Romeo vive uma vida normal, na escola, nas atividades, com família e amigos e é amado por todos que o cercam! Estes, aliás, os grandes sortudos que, como eu e minha família, têm a felicidade de conviver e aprender todos os dias com um ser humano tão evoluído.
Ele é minha maior inspiração como pai, como ser humano.
Como uma vez ele me disse: "Pai, eu sou seu irmão". Sim filho, você é meu irmão de alma. Meu maior orgulho."
Depoimento no Facebook: Marcos Mion - Oficial

quando a morte ensina sobre a vida



Memórias Póstumas de Brás Cubas

o filme é muito bom, elenco excelente e fiel às ideias de Machado de Assis, o qual no livro transpira uma acidez de doer ...





saiba mais 

Memórias Póstumas de Brás Cubas - livro

Machado de Assis é considerado um dos mais importantes escritores da literatura nacional. 
Em Memórias Póstumas de Brás Cubas, Machado apresenta um estilo novo, rompendo com a tradicional narração linear e dando início ao realismo brasileiro. Os críticos da época perceberam que a narrativa apresentou elementos modernistas e de realismo mágico. Na obra, o narrador suspende seu relato para desenvolver reflexões paralelas a ele.
Como fica explícito no título, quem narra as memórias já está morto, o que estabelece um diálogo crítico com a estética realista. Noções como verdade, ciência e razão são colocadas em discussão e relativizadas por Brás Cubas. O narrador vê o mundo com ceticismo e desprezo e, dirigindo sua crítica ao gênero humano, transforma o próprio leitor em uma das vítimas das ironias do livro.
continua

bom humor










sobre casamento

Casamento: modo se usar.

Case-se com alguém que adore te escutar contando algo banal como o preço abusivo dos tomates, ou que entenda quando você precisar filosofar sobre os desamores de Nietzsche.
Case-se com alguém que você também adore ouvir. É fácil reconhecer uma voz com quem se deve casar; ela te tranquiliza e ao mesmo tempo te deixa eufórico como em sua infância, quando se ouvia o som do portão abrindo, dos pais finalmente chegando. Observe se não há desespero ou insegurança no silêncio mútuo, assim sendo, case-se.
Se aquela pessoa não te faz rir, também não serve para casar. Vai chegar a hora em que tudo o que vocês poderão fazer, é rir de si mesmos. E não há nada mais cruel do que estar em apuros com alguém sem espontaneidade, sem vida nos olhos.
Case-se com alguém cheio de defeitos, irritante que seja, mas desconfie dos perfeitinhos que não se despenteiam. Fuja de quem conta pequenas mentiras durante o dia. Observe o caráter, antes de perceber as caspas.
Case-se com alguém por quem tenha tesão. Principalmente tesão de vida. Alguém que não lhe peça para melhorar, que não o critique gratuitamente, alguém que simplesmente seja tão gracioso e admirável que impregne em você a vontade de ser melhor e maior, para si mesmo.
Para se casar, bastam pequenas habilidades. Certifique-se de que um dos dois sabe cumpri-las. É preciso ter quem troque lâmpadas e quem siga uma receita sem atear fogo na cozinha; é preciso ter alguém que saiba fazer massagem nos pés e alguém que saiba escolher verduras no mercado. E assim segue-se: um faz bolinho de chuva, o outro escolhe bons filmes; um pendura o quadro e o outro cuida para que não fique torto. Tem aquele que escolhe os presentes para as festas de criança e aquele que sabe furar uma parede, e só a parede por ora. Essa é uma das grandes graças da coisa toda, ter uma boa equipe de dois.
Passamos tanto tempo observando se nos encaixamos na cama, se sentimos estalinhos no beijo, se nossos signos se complementam no zodíaco, que deixamos de prestar atenção no que realmente importa; os valores. Essa palavra antiga e, hoje assustadora, nunca deveria sair de moda.
Os lábios se buscam, os corpos encontram espaços, mas quando duas pessoas olham em direções diferentes, simplesmente não podem caminhar juntas. É duro, mas é a verdade. Sabendo que caminho quer trilhar, relaxe! A pessoa certa para casar certamente já o anda trilhando. Como reconhecê-la? Vocês estarão rindo. Rindo-se. 
Curta Mais seu amor.
(Diego Engenho Novo)
copiado do guiacurtamais/facebook

sábado, 25 de janeiro de 2014

Enigma of Beauty

The Enigma of Beauty by Rino Stefano Tagliafierro
Publicado em 16/01/2014

Pinturas clásicas animadas en un fascinante cortometraje obra de Rino Stefano Tagliafierro




BELLEZA,
proyecto obra del artista italiano Rino Stefano Tagliafierro, es verdaderamente insólito y único.
En BELLEZA, Tagliafierro da vida a docenas de maravillosas e históricas obras pictóricas. Los paisajes y las figuras cobran nueva vida y se mueven gracias al talento del autor milanés  Rino Stefano Tagliafierro y de las nuevas tecnologías. ¡Impresionante! Al final del artículo tenéis los créditos de todas las obras empleadas. Desde Cultura Inquieta compartimos lo que amamos.

* * *
Beauty in this interpretation is the silent companion of Life , inexorably leading from the smile of the baby, through erotic ecstasies to the grimaces of pain that close a cycle destined to repeat ad infinitum.
They are, from the inception of a romantic sunrise in which big black birds fly to the final sunset beyond gothic ruins that complete the piece, a work of fleeting time." -- Giuliano Corti (youtube)


sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

o engano da Morte


Vaidade Mata!
 25/08/2012 por Fernando Nogueira da Costa


Uma mulher foi levada às pressas para o CTI de um hospital.
Lá chegando, teve a chamada “quase morte”, que é uma situação
pré-coma, e neste estado, encontrou-se com a morte:
- Que é isso? – perguntou – Eu morri?

E a morte respondeu:
- Não, pelos meus cálculos, você morrerá daqui a 43 anos, 8 meses, 9 dias e 16 horas.

Ao voltar a si, refletindo o quanto tempo ainda tinha de vida, resolveu ficar ali mesmo naquele hospital e fez: uma lipoaspiração, uma plástica de restauração dos seios, plástica no rosto, correção no nariz, na barriga, tirou todos os excessos, as ruguinhas e tudo mais que podia mexer para ficar linda e maravilhosa.

Após alguns dias de sua alta médica, ao atravessar a rua, veio um veículo em alta velocidade e a atropelou, matando-a na hora.

Ao encontrar-se de novo com a morte, ela perguntou irritadíssima: 
- Puxa, você me disse que eu tinha mais 43 anos de vida! Por que eu morri depois de toda aquelas despesas caríssimas com cirurgias plásticas???

A morte aproximou-se bem dela, olhando-a diretamente nos olhos e respondeu:
- CRIATUUUUUUURA DO CÉU, EU NÃO TE RECONHECI!!!!!

página

* * *
e já que estamos falando na Personagem D. Morte, segue uma sugestão de filme: "A Noiva Cadáver"




 a noiva cadáver - teste de animações

a Morte 'já era' ...

Respeitado pesquisador norte-americano defende que a morte não existe


Cientista se baseia na física quântica e no biocentrismo para explicar que a ideia de fim é uma criação da mente

Não são todos os dias que vemos cientistas se lançando a explorar temas mais filosóficos como a existência da alma ou da vida após a morte, por exemplo, muito menos que venham a público defender suas teorias. Contudo, Robert Lanza, um respeitado pesquisador norte-americano, defende que a morte não existe, afirmando que esse evento não passa de uma ilusão criada pelas nossas mentes. (grifo nosso)

Segundo Lanza, a vida não passa de uma atividade do carbono e uma mistura de moléculas que dura por tempo determinado. O que morre é o nosso corpo que, então, se decompõe sob a terra. Para o cientista — que baseia suas alegações na física quântica e no biocentrismo —, a ideia de “morte” apenas existe porque ela foi sendo passada de geração para geração, ou seja, porque fomos ensinados a acreditar que morremos.

Múltiplos universos

Além disso, a nossa consciência associa a vida com a existência do corpo, e todos sabemos que os corpos morrem. De acordo com Lanza, a morte não deveria ser encarada como algo definitivo, como o fim de tudo, pois, seriam a biologia e a vida as responsáveis por criar a realidade do Universo, e não o contrário.  E mais: o espaço e o tempo não passam de ferramentas criadas pela mente para que a nossa realidade faça sentido. (grifo nosso)

Sendo assim, uma vez que a ideia de que o espaço e o tempo não existem é aceita, isso significa que nos encontramos em um mundo sem limites espaciais ou lineares. Essa mesma hipótese é defendida pelos físicos teóricos, que acreditam na existência de múltiplos universos nos quais diferentes situações estariam acontecendo simultaneamente.

Portanto, se o transcorrer de nossas vidas — começo, meio e fim — está acontecendo em todos esses universos simultaneamente, então a morte não pode existir. Mas e o corpo, que morre e se decompõe? Essa “mistura de moléculas e atividade do carbono” volta para o Universo, onde passa a existir como parte dele. (grifo nosso)

Por Maria Luciana Rincon em Mega Curioso, Fontes Daily Mail The Huffington Post Robert Lanza History

copiado de folhasocial

* * *
mais  
Does Death Exist? New Theory Says ‘No’ 

* * *

comentário

A teoria de Robert Lanza, sobre a não-existência da Morte, corresponde ao que sempre afirmo para meu círculo íntimo de amigos: ao morrer vou voltar a ser poeira de estrela. Desde que comecei a refletir sobre a Morte (a minha própria) adotei esta teoria. Por não ter qualquer lembrança de onde provim (a fecundação foi o passaporte de entrada nesse Mundo) passei a admitir que sou fragmento do Universo e, assim, aceitar a finitude tornou-se coisa simples. Penso em minha Morte como o 'That's all folks' dos desenhos animados ...



daisy aguinaga d'eibar

***
mais

A morte preta e branca 

12 de setembro de 2012

pais & filhos


"Todo filho é pai da morte de seu pai"
Fabrício Carpinejar
"Feliz do filho que é pai de seu pai antes da morte, e triste do filho que aparece somente no enterro e não se despede um pouco por dia."

Há uma quebra na história familiar onde as idades se acumulam e se sobrepõem e a ordem natural não tem sentido: é quando o filho se torna pai de seu pai. É quando o pai envelhece e começa a trotear como se estivesse dentro de uma névoa. Lento, devagar, impreciso. 
É quando aquele pai que segurava com força nossa mão já não tem como se levantar sozinho. 
É quando aquele pai, outrora firme e intransponível, enfraquece de vez e demora o dobro da respiração para sair de seu lugar. 
É quando aquele pai, que antigamente mandava e ordenava, hoje só suspira, só geme, só procura onde é a porta e onde é a janela - tudo é corredor, tudo é longe. 
É quando aquele pai, antes disposto e trabalhador, fracassa ao tirar sua própria roupa e não lembrará de seus remédios. 
E nós, como filhos, não faremos outra coisa senão trocar de papel e aceitar que somos responsáveis por aquela vida. Aquela vida que nos gerou depende de nossa vida para morrer em paz.
Todo filho é pai da morte de seu pai. Ou, quem sabe, a velhice do pai e da mãe seja curiosamente nossa última gravidez. Nosso último ensinamento. Fase para devolver os cuidados que nos foram confiados ao longo de décadas, de retribuir o amor com a amizade da escolta. E assim como mudamos a casa para atender nossos bebês, tapando tomadas e colocando cercadinhos, vamos alterar a rotina dos móveis para criar os nossos pais. Uma das primeiras transformações acontece no banheiro. Seremos pais de nossos pais na hora de pôr uma barra no box do chuveiro. A barra é emblemática. A barra é simbólica. A barra é inaugurar um cotovelo das águas.

Porque o chuveiro, simples e refrescante, agora é um temporal para os pés idosos de nossos protetores. Não podemos abandoná-los em nenhum momento, inventaremos nossos braços nas paredes. A casa de quem cuida dos pais tem braços dos filhos pelas paredes. Nossos braços estarão espalhados, sob a forma de corrimões. Pois envelhecer é andar de mãos dadas com os objetos, envelhecer é subir escada mesmo sem degraus. Seremos estranhos em nossa residência. Observaremos cada detalhe com pavor e desconhecimento, com dúvida e preocupação. Seremos arquitetos, decoradores, engenheiros frustrados. Como não previmos que os pais adoecem e precisariam da gente? Nos arrependeremos dos sofás, das estátuas e do acesso caracol, nos arrependeremos de cada obstáculo e tapete.
E feliz do filho que é pai de seu pai antes da morte, e triste do filho que aparece somente no enterro e não se despede um pouco por dia. 
Meu amigo José Klein acompanhou o pai até seus derradeiros minutos. No hospital, a enfermeira fazia a manobra da cama para a maca, buscando repor os lençóis, quando Zé gritou de sua cadeira:
— Deixa que eu ajudo.
Reuniu suas forças e pegou pela primeira vez seu pai no colo.
Colocou o rosto de seu pai contra seu peito.
Ajeitou em seus ombros o pai consumido pelo câncer: pequeno, enrugado, frágil, tremendo.
Ficou segurando um bom tempo, um tempo equivalente à sua infância, um tempo equivalente à sua adolescência, um bom tempo, um tempo interminável.
Embalou o pai de um lado para o outro.
Aninhou o pai.
Acalmou o pai.
E apenas dizia, sussurrado:
— Estou aqui, estou aqui, pai!
O que um pai quer apenas ouvir no fim de sua vida é que seu filho está ali.


Cinesio Rocha in Facebook


reflexão

Quem sabe uma sugestão para o sucesso nos cuidados paliativos?


copiado de Chiado Editora no Facebook





porque hoje é sexta-feira

piadinhas

um aviso


brincando com a morte


quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

gotinha de (bom) Humor


o amor em fotos

Existem muitas formas de manifestarmos amor – a declaração é uma delas, flores também são bem-vindas, mas uma das mais poderosas sem dúvida é a fotografia. Ela é capaz de despertar sentimentos profundos, que vão da nostalgia ao êxtase.


A partir dessa perspectiva, conheça um casal de idosos que resolveu registrar a cada nova estação do ano o desenvolvimento do seu jardim, mas não apenas isso: com esse registro vemos muito amor, carinho e cumplicidade que têm um pelo outro. Teoricamente com imagens simples, sem muito apuro técnico, mas com muita força sentimental e autenticidade.
Nem precisamos falar muita coisa, apenas veja as fotos e prepare-se para a última delas.



veja as fotos em hypeness

algumas palavras ...

Meus pais. 

Há mais de 52 anos eles se casaram. Passaram por muitas dificuldades, muitos momentos felizes também. Juntos. .. Como poderiam ficar longe um do outro? Testemunhei a última vez em que se viram. Era a comemoração do aniversário dela em um quarto no HCA. Ouvi a declaração de amor dele. O quanto ele a amava e que não consegueria viver sem ela. Minha mãe partiu há três meses. Desde então o vi se apagando, consumido pela saudade. Chorando diariamente a sua falta. Como ficar sem a sua Candinha? Nada mais tinha sentido. Seu coração não resistiu. E Deus em Sua infinita misericórdia, o chamou. Acabou seu sofrimento. Voltou para perto dela. A minha saudade dói na alma, dói no corpo. É devastador. Mas fecho os olhos e vejo o sorriso dos dois. Os dois que eu acompnhei até o fim. Fim? Prefiro acreditar que é um começo. Preciso acreditar nisso para tentar passar por tamanha perda em tão pouco tempo. Ele se foi três meses depois dela. Não podia viver sem ela. E agora ficarão juntos novamente. Deus há de guiá los e estarão em paz porque sofreram muito. Mas esse tempo acabou. É tempo de luz... 
Pude falar tantas vezes para os dois o quanto eu os amo. Pude segurar em suas mãos. ..
Descansem agora, meu pai e minha mãe. A missão foi cumprida. 
Amarei vocês para sempre. ..


quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

uma gotinha de (mau) Humor


copiado de Treta (Facebook)

basta estar vivo para amar

Erotismo e sensualidade não costumam ser associados com idades avançadas; trabalho da holandesa Marrie Bot vai contra esse tabu

“Geliefden – Timeless Love”, de 2004, é sua primeira série fotográfica com cores. No trabalho, as imagens mostram cenas de amor, erotismo e sensualidade com pessoas em idades avançadas. O objetivo é explorar a estranheza causada pela associação entre velhice e sexo – segundo a fotógrafa, um dos últimos tabus da sociedade ocidental moderna.


veja algumas fotos em catracalivre

***
sobre o tema sexo na velhice:


Vida sexual não para na velhice, mas é preciso superar obstáculos

Falar sobre sexo na velhice ainda é motivo de vergonha e constrangimento para muitos, o que dificulta a busca de informação e a superação de obstáculos para ter uma vida sexual ativa na terceira idade. "O sexo é muito útil para a autoestima e para diminuir a ansiedade dos idosos", afirma o geriatra Salo Buksman, da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia. 
É possível ter uma vida sexual de qualidade na velhice. Segundo a psicóloga Ana Teresa de Abreu Ramos Cerqueira, no final do século 20, vimos uma revolução no conceito da sexualidade, e essas mudanças repercutiram na vida sexual do idoso.

"Não se concebe hoje a sexualidade ligada apenas à função reprodutiva, mas como fonte de prazer e de realização em todas as idades", diz Ana, que é professora do departamento de Neurologia, Psicologia e Psiquiatria e da Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Unesp. "Há limitações para se viver plenamente a sexualidade na velhice, o que pode haver em todas as idades, mas é preciso tentar superá-las ou minimizá-las", afirma Ana Teresa.

continue a leitura em: notícias bol uol

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

invejável performance

Idosa de 71 anos CHOCA jurados em Show de Talentos

Uma vovó de 71 anos chega vagarosamente toda delicada para fazer seu showzinho no Britain’s Got Talent. O que os jurados não esperavam era que a tubaína era coca-cola!


Veja só o que fez essa senhora no palco.

fonte: luizmoreno



Britain's Got Talent pensioner Kelly Fox was in New Faces final in the 1980s

The professional comedian impressed the panel with a feisty performance of raunchy song Kiss My Ass

Kelly Fox, real name Sandra Broadbent.
(she) is a professional comedian who was in the final of talent show New Faces in the 1980s.

Judge Simon Cowell (BGT) said:
 "Kelly, you're an inspiration. I love you. You're a little tiger. I think you're terrific."

fonte: mirror
May 12, 2013

'book' no 'face'


Quem tem um livro nunca está só!

copiado do Facebook - Chiado Editora

velha, nem morta ...


Foto: Marcos Arcoverde/Estadão

Fernanda não gosta da palavra “velho”. Tampouco da expressão “melhor idade”.
 “Não é a melhor, é uma idade que tem as suas características. Mas não é uma anátema, um caminho para uma finitude. Quando se tem herdeiros, você se vê pelo menos 100, 200 anos adiante. Mas também pesa a perda das pessoas que vêm com você pela vida. Cada amigo que vai embora é uma memória que vai junto. Olho em volta e vejo que as pessoas mais próximas de mim, na vida profissional e nas amizades, já não estão mais.”
Dona Picucha está de volta. A intrépida personagem apresentada no telefilme da Globo Doce de Mãe, que deu o prêmio máximo da TV mundial a Fernanda Montenegro, é o centro de uma série em 14 capítulos que estreia no dia 30. 
Sou uma sobrevivente: já sobrevivi às glórias e à queda absoluta. Então quem me quiser tem que me querer de graça, pois nessa altura da vida não é mais problema meu.”

leia a matéria
"Fernanda Montenegro: a fada da 3ª idade num país que cultua a juventude"

* * *

falando aos meus botões: ... concordo com ela; 'melhor idade' é uma expressão criada por marqueteiros aproveitando o envelhecimento da população consumista ...

A Morte na música I

"Der Tod und das Mädchen" by Schubert


A Morte e a Donzela (em português), é uma lied* composta por Franz Schubert. O texto deriva de um poema do poeta alemão Matthias Claudius**. A música foi composta para voz e piano.

Original em Alemão

Das Mädchen:
     Vorüber! Ach, vorüber!
     Geh, wilder Knochenmann!
     Ich bin noch jung! Geh, lieber,
     Und rühre mich nicht an.
     Und rühre mich nicht an.

Der Tod:
     Gib deine Hand, du schön und zart Gebild!
     Bin Freund, und komme nicht, zu strafen.
     Sei gutes Muts! ich bin nicht wild,
     Sollst sanft in meinen Armen schlafen!

Tradução para o Português

A Donzela:
     Vá embora! Ah, vá embora!
     Vá, feroz homem de ossos!
     Eu ainda sou jovem! Vá, de preferência,
     E não me toque.
     E não me toque.

A Morte:
     Dê-me sua mão, bela e delicada forma!
     Sou amigo, e não venho para punir.
     Tenha bom ânimo! Eu não sou feroz,
     Tranquilamente você dormirá em meus braços!

* Lied (no plural Lieder) é uma palavra da língua alemã, de gênero neutro, que significa "canção". É um termo tipicamente usado para classificar arranjos musicais para piano e cantor solo, com letras geralmente em alemão. Na Alemanha, esta forma musical é chamada de Kunstlied. Utilizado para expressar em sons os sentimentos descritos nas letras. Esta palavra surgiu no período Romântico, século XIX, no sentido de partitura.

** Matthias Claudius foi um escritor alemão (Reinfeld-Lübeck, 15 de Agosto de 1740 - Hamburgo, 21 de janeiro de 1815)

* * *
um poema de Matthias Claudius:

Evening Song (Abendlied)

The moon has been arising,
the stars in golden guising
adorn the heavens bright.
The woods stand still in shadows,
and from the meads and meadows
lift whitish mists into the night.

The world in stillness clouded
and soft in twilight shrouded,
so peaceful and so fair.
Just like a chamber waiting,
where you can rest abating
the daytime's mis'ry and despair.

Behold the moon - and wonder
why half of her stands yonder,
yet she is round and fair.
We follow empty visions
and artisans' ambitions
because our minds are unaware.

We vain and wretched sinners
presume to be the winners,
but we know nothing yet.
So many neat solutions
are nought but great delusions
that farther off the path us get.

God, grant us Thy salvation!
No worldly aspiration,
no vanity allow!
Like children simple-hearted,
and joyful like we started,
let us become and teach us how!

And lastly, grant us leaving
the world without much grieving,
let peaceful be our death.
When from the earth You take us,
let heaven's joy await us:
stand by us, Lord, at our last breath.

So, brothers, in His keeping
prepare yourself for sleeping;
cold is the evening breeze.
Spare us, oh Lord, Your ire,
let rest us by the fire,
and grant our ailing neighbour peace.


fonte do poema myweb.dal.ca



Sueco de 81 anos lê o próprio obituário em jornal

Morte de Sven-Olof Svensson foi noticiada depois que sua irmã entendeu errado o diagnóstico dos médicos
   

“Estamos todos na mesma estrada. Mais cedo ou mais tarde, todos acabarão na seção dos obituários. Eu vivi uma vida longa e fantástica” , disse Svensson. 
Leia em operamundi 

nem a Morte os separa

Na Itália, cão idoso frequenta missa na esperança de rever dona falecida



(Foto: Reprodução/Il Messaggero)

Animal permanece no altar, no qual tutora foi velada, durante horas; lealdade do cachorro está atraindo novos fiéis à igreja da província de Brindisi